Jornal Eletrônico da SBPC/PE #Extra Ano: 2

Seu jornal de conteúdo científico.  Clique aqui para visualizar on-line

PARTICIPE DA MARCHA PELA CIÊNCIA EM PERNAMBUCO

“Precisamos da participação de todos. Não só dos estudantes e professores, mas dos amigos da ciência” Helena Nader – Presidente da SBPC.
 
Esta mobilização organizada por professor@s, cientistas e entusiastas que reivindicam maior reconhecimento da Ciência pela sociedade e pelos governantes teve seu início nos Estados Unidos e já ultrapassa o número de 500 cidades em diversos países, envolvendo instituições de ponta em ciência, tecnologia, inovação e educação. O centro do movimento acontecerá na cidade de Washington, nos Estados Unidos.

No Brasil, o evento principal será em São Paulo, no largo da Batata, a partir das 14h. Outras 23 cidades brasileiras, entre elas Recife, Rio de Janeiro, Florianópolis, Natal, Salvador também farão concentrações em defesa da ciência.


 
A Secretaria Regional da SBPC-PE faz o seguinte convite à população:

A comunidade científica e a população estão convidadas para marchar em defesa da Ciência neste sábado, dia 22 de abril, durante o evento apartidário “Marcha pela Ciência”.

A concentração deste evento será no Marco Zero a partir das 14:00h e o evento acontecerá das 14:00h até as 17:00h, quando acontecerá uma Marcha Simbólica. Os participantes do evento irão às ruas para chamar atenção para os cortes de investimentos públicos na área de ciência, tecnologia e inovação no Brasil e em vários países, bem como para promover a aproximação entre os professores, pesquisadores e a população em geral.

A data do evento, 22 de abril, coincide com o “Dia Internacional da Terra”, representando a união dos cientistas e da sociedade em geral pela valorização das pesquisas na manutenção de políticas públicas e o incentivo para o desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis.

A SBPC lembra que é fundamental a adesão de diversas instituições de ensino e pesquisa, professores, pesquisadores, e cientistas ao evento, no momento em que a atividade científica sofre ameaças nas mudanças de políticas públicas, redução de verbas e de financiamentos públicos, ou seja, extremos cortes em ciência, tecnologia e inovação.

Princípios fundamentais

1 - A ciência serve ao bem comum;

2 - Educação científica de ponta;

3 - Pela comunicação científica aberta, honesta e ao alcance do público;

4 - Por políticas e regulamentos de interesse público baseados em evidências;

5 - Pelo financiamento das pesquisas científicas e suas aplicações.

A SBPC-PE agradece aos seguintes parceiros: Universidade Federal Rural de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco, Espaço Ciência, Regional da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e grupo do Projeto SBPC Vai à Escola, pela colaboração na organização do evento.

Link do evento: https://www.facebook.com/events/1350950148318098/


 

MAIS DE 20 CIDADES BRASILEIRAS ADEREM À MARCHA PELA CIÊNCIA

JC Notícias de 20.04.2017

No Brasil, onde a ciência, tecnologia e inovação (CT&I) estão em risco por conta dos cortes nos orçamentos do governo, a Marcha está confirmada em 23 cidades e conta com o apoio da SBPC

No próximo sábado (22) cientistas de todo o mundo marcharão em mais de 500 cidades do mundo para chamar atenção ao importante serviço que a comunidade científica presta à sociedade e pedir aos políticos que parem de propor projetos não baseados em evidências. No Brasil, onde a ciência, tecnologia e inovação (CT&I) estão em risco por conta dos cortes nos orçamentos do governo, a Marcha pela Ciência está confirmada em mais de 20 cidades.

Há sites e convocação nas redes sociais para eventos em Belém, Belo Horizonte, Diamantina, Natal, Pato Branco, Petrópolis, Petrolina, Porto Alegre, Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo. As marchas estão sendo organizadas localmente por cientistas e entusiastas da ciência e envolvem instituições de ponta em ciência e educação. No Brasil, por exemplo, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) já manifestou seu apoio, assim como a Universidade de São Paulo (USP).

“Temos carência de políticas públicas e investimentos que favoreçam a pesquisa científica. Os estudos da comunidade científica trazem inúmeros benefícios à sociedade, da saúde pública à economia, passando pelo meio ambiente e novas tecnologias sustentáveis”, destaca Felipe Simões, aluno de graduação em Biologia pela USP e um dos organizadores do evento na capital paulista.

Em São Paulo, um dos objetivos é também lutar pela democratização dos estudos científicos, tornando-os mais acessíveis e abertos à comunidade. “As pessoas não se interessam pela ciência e parte disso se deve à falta de preparo dos próprios cientistas para lidar com a divulgação dos estudos de maneira fácil e objetiva. Por isso queremos também conscientizar a comunidade científica sobre a importância dessa parceria com a comunidade. A ciência deve ser inclusiva”, afirma Flávia Virginio Fonseca, aluna de doutorado do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

Já a questão dos cortes orçamentários será o principal mote da marcha no Rio de Janeiro, onde os organizadores utilizarão tesouras de papelão para fazer um “tesouraço” denunciando e criticando os enormes cortes que ocorreram nos recursos para CT&I no País e no estado carioca, bem como em outras áreas como educação, meio ambiente e cultura.

Lançada nos Estados Unidos (EUA) em reação à tentativa de Donald Trump de desmontar organizações científicas do governo e passar decretos que vão contra evidências científicas, a Marcha pela Ciência logo ganhou adeptos por todo o mundo. Agência ABIPTI
José Antônio Aleixo da Silva (Editor)
Professor titular da UFRPE e membro da Diretoria da SBPC.

Bianca Pinto Cardoso
Designer do Jornal

 
Achou essas informações importantes?
Então compartilhe nas redes sociais!
Facebook Twitter 
LinkedIn  Google+  Imprimir
Powered by AcyMailing