Voltar à página inicial

A Secretária da SBPC em Pernambuco, Profª. Rejane Mansur, esteve na última sexta-feira, dia 12 de setembro, prestigiando a abertura da exposição itinerante do Museu de Oceanografia da Unidade Acadêmica de Serra Talhada da Universidade Federal Rural de Pernambuco, coordenado pela diretora e curadora do museu, Jacqueline Silva Cavalcanti. Acima a foto da Secretária com a equipe do museu. (Ela é a segunda da esquerda pra direita no grupo do lado direito da foto)

 

A exposição está acontecendo no Shopping Rio Mar Recife, até o dia 21 de setembro e está dividida em seis espaços interdependentes, abordando temáticas como os grandes nomes da Oceanografia, o caminho do lixo no ambiente marinho, as eras geológicas, a oceanografia experimental e a robótica voltada para o ambiente aquático.

No acervo que está em exposição, os visitantes poderão encontrar réplicas de embarcações históricas, equipamentos oceanográficos atuais e históricos, animais marinhos (em formol), fósseis, conchas, lixo marinho, equipamentos de mergulho e pesca, além de jogos físicos e eletrônicos, que procuram estimular a curiosidade de crianças, jovens e adultos sobre os mistérios dos oceanos.

SOBRE O MUSEU - Criado em 2010 com o apoio do CNPq e da FACEPE, o Museu de Oceanografia da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, foi concebido com o objetivo de apresentar o ambiente marinho de maneira diferenciada, trazendo os mistérios desse ambiente até o sertão.

No acervo, existem mais de 500 peças, entre fósseis, peixes, invertebrados marinhos, conchas, lixo marinho, produtos de origem marinha e réplicas de navios que fizeram historia na oceanografia, entre outros.

Além disso, numa outra parte do acervo, criada com base no modelo do Museu da Criança, reproduções em tamanho natural e objetos de aprendizagem digitais exibem a ordem: “é proibido não tocar”. São jogos com diferentes níveis de interatividade e simuladores, que tentam fazer com que crianças, jovens e adultos desvendem e entendam os mistérios dos oceanos e das criaturas que lá habitam.

Além da exposição fixa, o Museu de Oceanografia faz diversas ações itinerantes, levando seu acervo a escolas de toda a região.

Curiosidades:

• Pesquisa realizada em 2010 mostrava que seis em cada dez alunos da rede pública do município de Serra Talhada, entre 5 e 15 anos, nunca haviam visto o mar.
• É a primeira vez que seis salas da exposição saem ao mesmo tempo do museu para uma única exposição itinerante.

DESCRIÇÃO DOS ESPAÇOS DO MUSEU DE OCEANOGRAFIA EM EXPOSIÇÃO

Grandes Nomes da Oceanografia: Essa parte da exposição retrata a biografia de grandes nomes da oceanografia. A vida e a obra de Jacques Cousteau, James Cook e Charles Darwin são abordadas através de apresentação de instrumentos de mergulho, localização geográfica e réplicas de navios. O acervo conta ainda com um painel de saída dupla, três terminais com TV 32``com a biografia desses pesquisadores.

Robótica: O histórico da robótica no Brasil e no mundo é apresentado através de uma piscina de 2200 litros armada com alguns peixes. Dentro dela um Veículo Operado Remotamente (ROV) é usado para mostrar como os primeiros veículos subaquáticos descobriram as maravilhas dos oceanos. Um painel mostra tudo o que o submersível está observando dentro da piscina. Os visitantes podem, através do celular, controlar o robô.

Jogos Digitais: Cinco terminais interativos estão disponíveis para os visitantes aprenderem brincando. Vários jogos sobre a oceanografia são apresentados de maneira divertida. O Wii e o X-box também são utilizados como ferramentas educativas nessa exposição.

O caminho do lixo: O lixo representa hoje um dos grandes problemas da população mundial, inclusive entrando nas atuais pautas de discussão da ONU. Os rios, estuários e oceanos estão interligados pela Bacia de drenagem, e o lixo jogado em um rio, pode facilmente chegar aos oceanos. Essa parte da exposição fala sobre o caminho do lixo no ecossistema aquático e os efeitos nos organismos marinhos. Uma trilha de 12m2 faz parte desse acervo, onde as crianças irão caminhar e aprender como preservar os ambientes aquáticos preservando a biodiversidade. Um grande jogo da memória (2m) ajudará aos visitantes a entender quanto tempo o lixo permanece no ambiente se ele não for bem descartado.

Expositores experimentais: Os cinco expositores de 1,60 x 1,20m explicam sobre a oceanografia química e física. A molécula de água, o ciclo da água, o ciclo do nutriente, ressurgência, marés, ondas , correntes entre outros. Além dos painéis, cinco experimentos interativos são apresentados.

A Era Geológica: As eras geológicas são divisões da escala de tempo geológico que podem ser subdivididos em períodos a fim de se conhecer a longa vida do planeta. As eras são caracterizadas pelas formas em que os continentes e os oceanos se distribuíam e os seres viventes que neles se encontravam. Através do estudo de fósseis e rochas, o historiador faz a reconstituição da história do homem. Quinze fósseis guias serão usados para contar essa história.

Tubarões: A diferença entre a anatomia de peixes ósseos e cartilaginoso está sendo apresentada através de réplicas. Três tubarões com 90 cm conservados em formol são apresentados em aquários de 1m. Na exposição também são exibidos uma raia e um peixe voador. Arcada, dentes de tubarão, feto de tubarão, nadadeira, fígado, olho e outras partes do predador estão sendo apresentados aos visitantes.

Atividade lúdica para crianças: Além das exposições, os monitores estimulam a consolidação do conhecimento com a produção de pinturas e ilustrações com os personagens do fundo do mar, numa atividade para os visitantes mais jovens, que poderão levar seus desenhos e pinturas para casa. Neste espaço também serão apresentados livros sobre o ambiente marinho

 

Vale a pena uma visita!

 

   .